29/08/2018

Mais uma semana de violência

O Brasil é um país com grande número de homicídios. Em 2016, foram mais de 62 mil mortos, um recorde histórico. A taxa de homicídios de 30 por cem mil habitantes nos coloca entre os vinte países mais violentos do mundo. Além disso, temos mais de 646 mil presos no sistema carcerário, a maior parte por causa do tráfico de drogas. Uma boa parte está aguardando julgamento e faltam vagas pra tanto preso. Mas as estatísticas ofuscam a realidade dessa violência. Como essa violência se deu, por exemplo, na semana passada?

Segunda-feira, 20 de agosto

- Uma operação das Forças Armadas nas favelas da Maré, do Alemão e da Penha, no Rio de Janeiro, deixou pelo menos seis mortos, incluindo um militar, segundo o portal G1. Para o Estadão, foram treze.

- Dezesseis presos da penitenciária de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, foram indiciados pela morte de quatro detentos no domingo, dia 19. Alcaçuz foi o palco de uma rebelião sangrenta em janeiro de 2017, que em 14 dias deixou 26 mortos.

- Uma mulher foi baleada no pescoço e morreu numa blitz em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Ela e o marido estavam no automóvel, que havia sido roubado em abril e recuperado recentemente. Eles iriam ao Detran regularizar a situação do carro no dia seguinte. Segundo o marido, ele parou imediatamente quando foi ordenado a fazê-lo pelos policiais. Segundo a polícia, a ordem para parar não foi obedecida, houve perseguição e o motorista tentou atropelar um policial. Na sequência, houve o disparo letal.

Terça-feira, 21 de agosto

- Uma adolescente foi morta em Pouso Alegre, Minas Gerais, enforcada pelo namorado. O assassino ainda tentou disfarçar o crime ligando para a família da menina e dizendo que não conseguia a encontrar. A polícia foi acionada e estranhou quando o suspeito agiu friamente ao encontrar o corpo.

Quarta-feira, 22 de agosto

- Um preso foi morto, enforcado com um fio de náilon, numa penitenciária em Canoas, no Rio Grande do Sul.

- Dois homens foram mortos em Manaus, capital do Amazonas, num ponto de venda de drogas, segundo o Portal do Amazonas.

Mortos em Manaus. Foto reproduzida do site Portal do Amazonas.
 - Em Caapiranga, também no Amazonas, a população foi pra frente da delegacia onde se encontrava uma suspeita de assassinar um jovem pois a suspeita disse que não iria revelar a localização do corpo. Na confusão, os policiais dispararam contra a população, que revidou com pedradas. A polícia alega que havia manifestantes armados. Uma pessoa foi morta e onze feridas.

- Em São Paulo, dois africanos foram mortos, um a facadas e outro a tiros, em dois crimes separados.

- Uma mulher que teve seu corpo queimado no domingo morreu após três dias no hospital. A mãe da vítima testemunhou o ocorrido e disse que foi o ex-namorado que jogou álcool na vítima e ateou fogo.

Quinta-feira, 23 de agosto

- Em Uarini, no Amazonas, 36 detentos destruíram uma delegacia durante uma visita de rotina da PM.

- Em Arcoverde, Pernambuco, internos da Fundação de Atendimento Socioeducativo atearam fogo em colchões, num princípio de rebelião.

- Em Manaus, um homem foi executado com 11 tiros enquanto almoçava num restaurante.

Sexta-feira, 24 de agosto


- Em Manaus, um homem foi morto a tiros após se recusar a entregar seu celular a assaltantes


Sábado, 25 de agosto


- Um homem foi morto com uma facada em São Francisco de Paula, no Rio Grande do Sul, após uma briga de bar.

Domingo, 26 de agosto

- Em Manaus, um homem foi morto a tiros dentro do seu carro. Outro foi morto a tiros quando estava com amigos num bar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Locations of Site Visitors